VIOLAB

VOLTAR

Duofel em São Paulo

21h30


Informações:

18 /// Abril

São Paulo - SP

Bourbon Street

http://g1.globo.com/sp/sao-paulo/musica/show/duofel-18-04-2017-bourbon-street-duofel.html


Duofel

O trabalho do DUOFEL é resultado de 35 anos de pesquisas, ensaios e shows diversos. Luiz Bueno, paulistano, 60 anos, e Fernando Melo, alagoano de Arapiraca, 56 anos, têm em comum o fato de serem autodidatas e de acreditarem com rara obstinação, no sucesso de uma proposta musical. Em 1977 se produz o encontro entre Fernando e Luiz, em São Paulo. Em 1978, começam a tocar com dois violões, numa viagem pelo nordeste. Em 1979 passam a tocar no circuito alternativo de São Paulo. Mais tarde, Tetê Espíndola os contata para fazer parte de seu grupo. Nessa fase surgiu o nome "DUOFEL", que significa: dupla Fernando e Luiz. Na fase 1980-1985, junto com Tetê Espíndola, fazem shows memoráveis pelo Brasil inteiro, gravando um LP onde arranjam 7 das 10 músicas. Na tournée de lançamento do disco, a participação especial do DUOFEL foi destacada pela crítica. Em 86 lançam seu primeiro disco, de forma independente: "DUOFEL DISCO MIX". Também neste ano, vencem o Festival de Música Instrumental de Avaré em São Paulo, com "A Fuga de Djanira Metralha II Movimento". Em 1989, se apresentam ao lado de Arrigo Barnabé e Tetê Espíndola no "Belga Jazz Festival", em Bruxelas. Em 1990 registram “As cores do Brasil” para a gravadora Line Music de Alemanha, com a participação do percussionista João Parahyba. Em 1992 o multi-instrumentista Hermeto Pascoal os convida para participarem em todos os shows pelo Brasil, como convidados especiais. O "bruxo", ao assisti-los, assim os definiu: "O DUOFEL não é um duo, é um trio, às vezes um quarteto e outras uma banda inteira, por isso acho que deveriam mudar o nome para TRIO DU'CA”. Em 1993 lançam o terceiro álbum com o mesmo nome da dupla "DUOFEL", pela gravadora Camerati. Pela primeira vez em disco, gravam músicas de outros autores com arranjos próprios: Egberto Gismonti e Hermeto Pascoal. Classificado pela revista "Manchete" como o melhor lançamento de música instrumental em 93, o CD recebe 5 indicações para o VII Prêmio Sharp de Música. Na sequência, Sebastião Tapajós os convida para participarem do "Brazilian Guitar Night" por nove cidades da Europa. Em 1994 Hermeto Pascoal os convida para abrirem sua participação no VIII Free Jazz no Rio de Janeiro e São Paulo. E é nesta participação de 20 minutos que encantam críticos, platéia e principalmente músicos como o percussionista indiano Badal Roy, integrante do grupo de Ornette Coleman. Nesse ano gravam o CD "Espelho das Águas - Ao Vivo" durante temporada no teatro Crowne Plaza, em São Paulo, pela gravadora VELAS. O CD recebeu da revista "BIZZ" a indicação de Melhor Lançamento Instrumental de 1994. No ano de 96, estiveram em sua primeira turnê pelos Estados Unidos, num circuito "americano para americanos", incluindo alguns dos melhores clubes de jazz, como "Knitting Factory" em Nova York, e com Itamar Assumpção e Ná Ozzetti dividiram shows pela França e Alemanha. Gravam também nesse ano, nos EUA, o CD "Kids of BRAZIL", que com arranjos de HERMETO PASCOAL, sua música ganha novo sabor rítmico e melódico. A qualidade do novo CD é ratificada com novas indicações no 10º PRÊMIO SHARP DE MÚSICA. Em 1997, recebem o convite da direção geral do festival de jazz "JAZZ À VIENNE", em Lyon, França. Em 98, iniciam novas composições para celebrarem os vinte anos de existência. Criaram um projeto que incluía a gravação de quatro CDs; dois do DUOFEL e outros dois solos. Em 1999 lançam o primeiro CD do projeto dos vinte anos; "Atenciosamente, Duofel", que homenageia músicos brasileiros e internacionais que de alguma forma se tornaram fundamentais nesta trajetória. Pela mesma gravadora, TRAMA, lançaram em 2000 o segundo CD; “DUOFEL 20”, gravado “ao vivo” no Teatro Municipal de São Paulo, com a participação especial de Hermeto Pascoal e Oswaldinho do Acordeon. Concluindo o projeto vinte anos, Luiz Bueno lançou seu CD solo “Música” pela gravadora MCD World Music, em 99 e Fernando Melo lança em 2000 o CD “Forró de Violão” pela gravadora Eldorado. Em 2001 se apresentam na Sala São Paulo e Praça da Paz no Parque do Ibirapuera em São Paulo ao lado da Orquestra Jazz Sinfônica interpretando algumas de suas composições. Foram finalistas do Prêmio VISA de MPB e participaram do 35o Montreux Jazz Festival na Suíça. Em 2002, produzem material para três diferentes projetos de CDs que inclui desde a inserção de novos instrumentos tais quais a viola nordestina de 10 cordas e o violão tenor de quatro cordas como também novas experiências voltadas para a música eletrônica. Parte deste material foi criado no Amazonas onde passaram durante 15 dias fazendo uma viveêcia na cidade de Manaus, objeto de inspiração para o CD “PRECIOSO”. Em 2005 criam um núcleo de distribuição de suas músicas, fundando a FINE MUSIC. Lançam o CD "PRECIOSO" em São Paulo e é sucesso absoluto de público. Em 2006, lançam o primeiro álbum duplo, “Duofel Experimenta”, o CD “Lounge Eletrônico” e ainda uma jam session gravada em Nova Jersey, EUA, juntamente com Badal Roy nas tablas e Daniel Moreno na percussão e efeitos, “Playing at Home”. Em 2008 comemoram 30 anos de carreira em apresentação de gala com a Orquestra Sinfônica da USP - OSUSP sob regência do maestro Carlos Moreno; no Auditório Ibirapuera. Criam a trilha sonora do filme “Olho de Boi” do diretor Hermano Penna e lançam o CD de mesmo nome. Em 2009 recebem convite do MPB4 para gravação de CD de boleros com arranjos de Fernando e Luiz. São também convidados pela diretora Tatiana Lohman para criarem a trilha do longa “Solidão e Fé”. Em 2010 gravam e lançam novo CD dedicado a obra dos Beatles, sucesso estrondoso de crítica e público. O projeto do CD seria finalizado com um velho sonho de Duofel. Foi assim que nasceu a aventura de gravar em Liverpool, no The Caven Club, um DVD memorável. Em 2013, Duofel prepara várias surpresas celebrando os 35 anos desta parceria criativa com shows inusitados, novos instrumentos e lançando o CD "DUOFEL PULSANDO MPB".

play