Violab

Aquidistantes 17 - Diego Salvetti e Carlos Walter

Carlos Walter, é mineiro de Uberaba e além de virtuose é talvez o mais inquieto dentre os entusiastas do violão.
O Italiano Diego Salvatti radicado no Brasil, residente em Maringá, já conhecido do projeto Aquidistantes, une o talento como compositor a uma desenvoltura técnica aparentemente sem limites.
Essa performance de “Balneário” (composição de Diego,) é inovadora, não apenas no aspecto musical, mas também no tecnológico. Carlos Walter utiliza um instrumento diferenciado, com diversos recursos de timbre e ajustes ergonômicos. Diego usa um violão híbrido, com 8 cordas e elementos estruturais que mesclam a tradição clássica, folk e flamenca de construção de violões.
Por estas e pelo resultado em si, esse é um Aquidistantes que- mais do que dois músicos- traz a parceria da música com a inovação.

Os intrumentos:

“O violão utilizado por Carlos Walter foi construído pelo luthier brasileiro Gianfranco Fiorini com a colaboração dos violonistas Aliéksey Vianna e Carlos Walter, possui eletrônica suíça da Paradis Guitars de Matthias Grob e Rolf Spuler (in memoriam) e várias inovações que serão apresentadas em breve numa série de ações oficiais de lançamento. Por exemplo, às 10h de 17/04/21 (horário de Brasília) será realizado um bate-papo online transmitido pelo Youtube sobre as novidades desse instrumento com a presença dos desenvolvedores no 3° Sons da Cidade – Mostra de Violão de Belo Horizonte. Aguardem, seguindo-os em suas redes sociais.”

O violão de Diego Salvetti foi feito por Rodolfo Cucculelli. É um violão cutway flamenco 8 cordas com cravelhas. Tampo em pinho, fundo e laterais em cipreste, braço em cedro e escala em ébano.

Rolar para cima